2 de mar de 2010

Revirando o baú do blog!

Últimos passos
Quero conhecer o mundo inteiro
A fundo e afim de saber
O que passa no coração de Patrícia.
Malícias? As mais doces carícias?
Talvez não passe nada.
Seu olhos percorrem o corredor
Vazio e frio
Ela corre sem sair do lugar
Nada passa pela cabeça dela
Nem as memórias.
Oh intermináveis dias cruéis
Patrícia sofre com a dor
Não tem mais vida, não tem mais cor
Não tem mais flor, nem mais nada.
Me arriscaria em descrever Patrícia
mas de hoje não passará
E assim ela passou a semana.
Seus passos inseguros tinham direção
O corredor agora está no fim
Ela não corre mais, apenas segue
Segurando no corrimão.
Patrícia chora
Seus pais estavam cada vez mais perto
Perturbando suas noites em claro
E ela chora
Agora eles são apenas lembraças.
Talvez se Patrícia pudesse dizer o que sente
Se sentira melhor ou morreria semana que vem
Mas ninguém ouve os gritos de Patrícia
Nem ela grita. Nem ela ouve.
Que tal a última dose?
E doze horas depois a dor ficaria para trás
Ela tem medo. Ela ainda tem algo a sentir
Mas logo agora? Tão perto do fim
Patrícia não sabe onde começa a dor.
Ela simplesmente vai
Nos últimos passos
Como uma dança, sem seu par.
O filme de sua vida passa na frente dela
Um curta-metragem, pois nada vivera
Ela não passou por nada
Nada mais passa por ela.
Oh intermináveis minutos cruéis
Ela já não aguenta mais lutar
E não se dá por vencida
Mas perdeu a chance de viver
E reviver cada momento de sua vida
Que não existia mais.
Para que então reviver?
Deixe que vá, que a onda leve.
Oh intermináveis segundos cruéis
Ela ainda respira com dificuldade
E alimenta seu pulmão cansado.
Ainda produz saliva para remediar
A garganta seca e fraca.
Ela ainda pisca lentamente
Querendo perder seus últimos flashes de vida
Então fecha os olhos.
Apenas seu coração funciona
Ele se esforça para bater e levar esperança
Mas para Patrícia, a Patrícia morreu
Assim como a esperança de seu coração.
Então lentamente ele vai parando
E rende-se ao desejo dela.
Patrícia agora é um anjo?
Ou apenas um corpo jogado?
Não sabemos
Só queriamos saber
Se Patrícia está bem
E nada mais.



PS.: A personagem "patricia" assim como a narração é fictícia!




Embora o que eu escrevi possa perder o sentido, a métrica ou a rima em alguns momentos, eu gostei muito de ter conseguido achar um fim para as palavras que não paravam de girar, como um carrossel em minha cabeça. Agradeço a todos que comentaram no meu blog anterior, do qual esqueci o nome (sério mesmo)...Eu cheguei a postar esse mesmo texto no Ideia Incomum, mas, não tinha muitos leitores...levando em consideração que hoje em dia eu continuo com poucos leitores, resolvi "repostar" esse texto, porque preciso resgatar um pouco a minha maneira de escrever textos..como antigamente!!!

Abraços

Nenhum comentário: